Questionamentos sobre Liderança e Ambiente de Trabalho

O post de hoje foi elaborado a partir de uma série de questões feitas por ninguém mais, ninguém que menos que a minha mãe…hahahahahahahaha. Para vocês entenderem o contexto, depois de muitos anos fora do mercado de trabalho, ela passou em um concurso público, e há quatro anos convive com os velhos/novos problemas e questões presentes nas empresas. Ela convive com pessoas de origens, formações e gerações diferentes entre si, o que obviamente geram conflitos dos mais diferentes tipos.

Por eu estar envolvida há um tempo considerável com a área de Recursos Humanos, virei uma espécie de consultora particular, hehehehehehehe. Vira e mexe, temos conversas interessantes sobre relações trabalhistas, liderança, resolução de conflitos, etc.

Aí, quando ela viu a minha página no Facebook, ficou toda orgulhosa, e ao mesmo tempo disparou uma série de perguntas. Não sou especialista no assunto, mas vou responder com base na minha experiência e no meu feeling. Se alguém discordar, por favor entrem em contato.

Então, lá vai:

Pooooor exemplo: Até onde um líder de equipe pode chegar para chamar a atenção de um subordinado? Outra pergunta: Como passar adiante problemas no ambiente de trabalho, sem ferir a hierarquia? Como, ao mesmo tempo você mostrar que gosta do seu trabalho, e também reivindicar direito a um ambiente mais sadio? Enfim, vc poderia abordar este tipo de situação: o LÍDER QUE SABE VALORIZAR E QUE SE PREOCUPA COM OS SEUS COLABORADORES. Principalmente aqueles chefes que não são administradores de empresa e não entendem nada de gestão de pessoas. Não é nada pessoal, viu? É mera curiosidade hahaha.

Bom, mãe e demais leitores…

Primeiro, vamos desmistificar essa história que um líder precisa ser necessariamente formado em Administração de Empresas. Eu sou formada em ADM, e já tive líderes com as mais diversas formações. Na realidade, o curso de ADM nos ensina a gerir uma empresa – e com isso, aprendemos sim sobre liderança – e os mecanismos existentes para isso.

A liderança precisa ser aprendida não apenas em sala de aula, mas também no dia-a-dia. Para algumas pessoas, isso é mais fácil, já que essa característica pode florescer desde a infância. Outras características como auto-estima elevada, bom nível de auto-conhecimento, amplo conhecimento técnico e gostar de se relacionar com outras pessoas são fatores fundamentais para exercer uma boa liderança.

Existem diversas teorias sobre liderança, mas não vou me estender sobre elas aqui. Existem líderes democráticos, que estão mais voltados para o resultado do trabaho em equipe, e existem líderes autocráticos, que focam o processo de trabalho em si, e menos nas pessoas. Enfim, o tema é extenso. No fim do post, vou colocar alguns links para quem tiver interesse em se aprofundar no tema.

Resumindo: não há um estilo certo e outro errado de liderança. Tudo depende da empresa, do mercado de atuação, da cultura da empresa. O que um bom líder precisa, antes de tudo, é respeitar os seus subordinados. Mesmo sendo um líder do tipo linha-dura, o respeito é a coisa mais importante na relação líder-liderados. Se um líder respeita as pessoas da sua equipe, será respeitado por elas. Liderança pode ser aprendida, e é responsabilidade das empresas preparar as pessoas para assumir o papel de líder. E nem sempre um bom técnico será um bom líder.

Quanto às outras perguntas da minha mãe…

Como passar adiante problemas no ambiente de trabalho, sem ferir a hierarquia?

Qualquer problema no ambiente de trabalho deve ser reportado, primeiro, ao líder imediato. Uma, duas vezes, ou quantas forem necessárias. Se o líder não tomar providências, ou passar para uma instância mais alta (o gerente ou diretor da área), então cabe ao próprio funcionário levar o assunto adiante, avisando ao líder o que irá fazer. Infelizmente, é uma situação extremamente delicada, que pode acarretar em diversos problemas tanto para o funcionário, quanto para o líder. Mas convenhamos, um líder de equipe, alertado pelos seus funcionários de um problema existente, que não toma providências para solucioná-lo, não merece ser chamado de líder…é papel do líder fazer essa ponte entre a alta gerência e os funcionários da empresa.

Como, ao mesmo tempo você mostrar que gosta do seu trabalho, e também reivindicar direito a um ambiente mais sadio?

Tudo mundo tem direito a um ambiente de trabalho sadio. É um direito estabelecido pela CF/88, nos artigos arts. 5º e 7º (http://www.conjur.com.br/2001-ago-30/empresa_garantir_ambiente_sadio_trabalhador)

Ninguém consegue trabalhar em um ambiente insalubre, que coloca a saúde em risco. Cabe às empresas garantirem que seus funcionários estejam devidamente instalados em seus postos de trabalho, cuidar da ergonomia, da limpeza e também, do bom relacionamento entre as pessoas. Para isso existem as áreas de Segurança do Trabalho e a CIPA (Comissão Interna de Prevenção a Acidentes), que devem ser notificadas quando existir algo que esteja em desacordo com a legislação.

Gostar do trabalho e reivindicar melhores condições no ambiente de trabalho não são coisas incompatíveis. A questão aqui é encontrar uma maneira de dialogar com a empresa. Primeiro, conversar com os colegas de equipe, para verificar se o desconforto é geral. Depois, procurar o líder da equipe (se ele ainda não estiver a par da situação), e solicitar uma análise da área de Segurança do Trabalho e/ou CIPA. Se nada disso resolver, uma solução é procurar o sindicato da categoria, relatar o que está acontecendo e buscar uma resolução junto à empresa. Uma organização que esteja, de fato, preocupada com o bem-estar dos funcionários, e que acredita que isso é fundamental para a excelência nos serviços prestados, provavelmente não deixará que a situação saia do controle.

Links para artigos sobre Liderança

 Quando o líder faz a diferença – Portal RH.com.br

O perfil humano das novas lideranças – Portal RH.com.br

Líder ou RH, quem é o responsável pela Gestão de Pessoas? – Portal RH.com.br

Anúncios

Sobre Cláudia Feijó

Sou jovem e estou em busca dos meus sonhos e conquistas, pessoais e profissionais. Tenho os mesmos medos e anseios que tantas outras pessoas da minha idade. O que mais prezo na vida é ser feliz e sei que para isso são necessárias escolhas - muitas delas difíceis. Mas não desisto nunca - e estou aqui para expor idéias, dialogar, discutir!! Aproveitem!!

Publicado em 25/04/2012, em Carreira, Gestão de Pessoas. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: